domingo, 15 de julho de 2012

O HOMEM DUPLO. - The doubleman

Por Christopher John Koch - Copryght 1985
----
Pgna 44 -- E reze - ordenou ele. - Não se preocupe se Deus parece não estar ouvindo. Ele está, e num momento, ele pode lhe dar o que negou durante muito tempo. Ecco.
Pgna 113 - Tudo o que vemos não passa de aparência. A questão é o que realmente há além dela. Ou quem... como perfurar essa película...
Pgna 129 - Nada é mais bonito que um violão - exceto talvez dois. ( Frédéric Chopin)
Pgna 148 - Os estúdios de uma grande emissora de rádio têm à noite a mesma quietude de uma igreja deserta. Mas por baixo disso há uma vibração baixa, emocionante, como a de um navio em alto mar. Os corredores estão vazios mas você sabe que o organismo está vivo.
Pgna 229 - ............
                  - Ou não vês aquela linda estrada
                   Que pelas verdes colinas ondeia...
                    É a bela Terra dos Elfos, a estrada
                    Por onde esta noite junto iremos.
Pgna. 247 - Ri novamente, mas ele ignorou meu riso, e continuou a explicar os detalhes da calamidade pré-cósmica, pela qual o mundo material tinha sido criado, não pelo que chamamos de Deus, mas por uma força inferior e malévola - o Demiurgo - , e uma de suas identidades era o Deus do Velho Testamento. - E assim, os Judeus e Cristãos foram enganados.  ( um diálogo sobre a eternidade, dança nessa página).
Pgna. 268 - Richard pensando.   - A caminho de casa, sentia-me como um homem que acreditava por muito tempo sofrer de uma doença fatal, para no fim descobrir que essa doença não existia.
--------
(By C J Koch

Em resumo, o livro é bem interessante. Gosto dos livros escritos no passado, pois somos o resultado de tudo que foi escrito na Terra e nas estrelas. 
(by Mar)

 Na foto, minha linda  Cherriê.


Postar um comentário