domingo, 16 de outubro de 2011

Solução Para a Crise na Saúde Pública.


Consciência humana – Selecionar humanos com consciência cósmica,  cujo pensamento orbita no plano onde o bem de todos os seres vivos é um bem único e inquestionável.
Atualmente o fator lixo envolve tudo e todos. O lixo jogado nas ruas é similar ao lixo que vai na mente dos humanos. Idem para o tratamento em muitos hospitais públicos, que podemos considerar uma lixeira humana.

Seres pensantes deveriam evitar o máximo possível de cair em quaisquer redes que não tragam benefícios.  Quanto à saúde,  existem inúmeros meios de resolvermos muitas questões de oscilações em nosso organismo sem buscar as filas ignoradas de muitos postos de saúde e hospitais públicos. Muitos casos de mal estar são resolvidos com soro caseiro (desidratação, por exemplo), Erva de Santamaría ou mastruz (para muitos tipos de bronquites), enfim, não vou citar todos os recursos ou soluções que temos disponíveis, que a melhor herança de conhecimento deixada  por todos os seres vivos que viveram nesse planeta.

A mídia diz que o Brasil está equilibrado no muro acima da crise.  Se estivermos bem de saúde,  com algum recurso financeiro, não temos olhos de ver os que estão doentes ou os que não têm nenhum recurso financeiro. É assim que funciona o “Eu” quando se tem o básico necessário numa sociedade sem noção de que a dor é comum a todos.

Minha sugestão para resolver o grave problema na saúde pública.  –Um exemplo prático: Jogos da Loteria!

1) Dar um número diferente para todos os hospitais públicos existentes no Brasil.

2) Uma vez por semana sortear um número. O hospital sorteado será vistoriado, analisado, reestruturado. Os médicos, enfermeiros e atendentes serão avaliados, analisados e seus salários reavaliados de acordo com as horas e  responsabilidade de cada um.

3) Imagine uma grande mansão onde cada compartimento deve estar bem apresentado, servido e arejado. Para isso precisa haver bons mordomos e ótimos auxiliares de limpeza. O pessoal da limpeza é tão indispensável que partindo do princípio da necessidade que um hospital tem desse trabalhador, fica eles com o mesmo grau de responsabilidade que um médico.

4) Na forma figurada, sorteei o primeiro hospital para “humanizar” os prestadores de serviço. Foram dados todos os meios, equipamentos, recursos, e benefícios extras no salário do pessoal  Esse hospital depois de sorteado teve todas suas despesas auditoradas. Funcionários suspeitos de fraudes foram demitidos ou... reajustados ao seu posto com advertências.  Esse hospital passa a ser um quarto limpo da mansão onde, ocasionalmente, no mínimo uma vez por mês é visitado pelo fiscal que terá que ser eleito espiritualmente como o “Consciência Humana” ao qual me refiro no início dessa conversa.

5) É de suma importância que não haja atravessadores ou super-faturamento. Muitas vezes é direcionado Um milhão de reais numa obra que na verdade consumiu 500 mil reais.  São detalhes que se calam no pensamento do povo. São detalhes que não existe numa sociedade civilizada.

6) O problema é encontrar o ser “Consciência Humana” que não se deixe vender para uma unidade, visando benefícios extras para alguns trabalhadores dessa unidade ou para si próprios. 

7) Sorteando um hospital por semana e fazendo vistorias.  Encontrando algumas pessoas que  não sejam corruptíveis para trabalhar na fiscalização e comprovar o trabalho entregando memorandos de vistorias assinados pelo responsável desse hospital.   Se não pudermos encontrar honestidade suficiente num ser humano para transformá-lo em “Consciência Humana” então, coloque ao público a responsabilidade de vistoria.  No caso... não temos o “Consciência Humana” pago pelo governo para vistorias. Então colocamos enquetes em sites e rádios, enquetes permanentes e com fórum de discussões para avaliação dos hospitais consagrados pelo sorteio.  É importante que o mesmo hospital não seja sorteado duas vezes porque, uma vez sorteado, para sempre deverá ser reavaliado pelos usuários e suas necessidades serão repostas na forma justa pelo governo federal.  É dispensável um imposto extra para esse fim. Poderia se usar um porcentual da porcentagem que o governo recebe do povo nos jogos da loteria.

8)Um exemplo do que acontece em hospitais: -Maria José foi atendida por desmaio. Foi diagnosticado pressão baixa ou desidratação. Ficou no soro duas horas e foi dispensada.  Na ficha hospitalar dela é possível que conste internação etc etc etc .   Esse tipo de coisa não poderá acontecer num hospital sorteado porque...  foi dado consciência para todos os funcionários.


9) Havendo ordem, haverá progresso. Parece que foi esquecido o escrito em nossa Bandeira. Com ordem poderá ser triplicado o número de médicos e atendentes, com salários dignos e, pasmem! -O governo desembolsaria menos, pagando mais. Pensem nessa charada matemática e verão que há bastante verdade nisso.

Sabemos o motivo das crises que afetam um ou vários países.  Humanos inconscientes “esvaziam os recursos”. É o mesmo que você tomar toda a reserva de água para si e  deixar no seco os demais 99%.  O mesmo que você chegar na fila da padaria, comprar todo o pão e deixar a fila atrás de você sem nada. Cada vez que um país ou sistema entra em crise é porque alguém dirigiu os canos de água para os seus aposentos e a descarga para os demais bilhões de seres incluindo os animais.  É mister saber que os animais são os primeiros prejudicados pela crise.  É nas grandes crises que empresas contaminadoras se instalam em qualquer região onde antes era um verde vale.

“A maldade é sutil e cuidadosa.  Muitas empresas perdem empregados honestos porque a maldade brincou de jogar e ganhou o jogo”.  –É aí que a corrente do bem arrebenta. “Espíritos brincalhões encarnados tendem a distrair a mente do mais forte para conseguir poder”.

A questão de sorteio é uma sugestão não só para a rede hospitalar mas também para as escolas públicas,  assuntos que envolve segurança pública, etc.   De forma diferente, seria o mesmo que atropelar os cômodos de uma mansão. Limpar uma sujeira por cima é o mesmo que jogar embaixo do tapete. 

Fazer um esquema dar certo não é simples. Fazer algo bom dar certo é brincar de fazer milagres e tentar um mudo perfeito. Para termos um mundo perfeito precisamos de humanos perfeitos. Se o início e o meio for digno e honesto, o fim justifica os esforços e todos saem ganhando.

(Qualquer opinião ou frase similar encontrada na internet, é mera coincidência).
(By Mar)


PS: -Tentei enviar minha utopia acima à nossa Excelentíssima Presidenta Dilma. https://sistema.planalto.gov.br/falepr2/index.php  - Minha internet é conexão via rádio
e cai todo minuto. Na hora do enviou... caiu. Penso que não foi. Mesmo se tivesse ido...
o mundo não muda e a letra muda quando se desenrola em grandes frases... não é lida, é banida.
Por sorte ainda nos resta a liberdade de pensamento e de idéias... que nascem mortas.
Postar um comentário