domingo, 6 de julho de 2008

RELATIVIDADE x REALIDADE

(Pgnas 99 e 100 do livro EINSTEIN O ENIGMA DO UNIVERSO)
Inúmeras vezes foi EINSTEIN solicitado por pessoas de todas as classes para dar uma síntese compreensiva do que ele entendia por "Relatividade" - e nenhuma vez Einstein explicou o que era Relatividade.
O que ele afirma sempre de novo em seus livros e cartas é

que a RELATIVIDADE NÃO É OBJETO DE ANÁLISE INTELECTUAL,
e sim de INTUIÇÃO CÓSMICA
e sobre intuição NINGUÉM PODE FALAR,
sem entrar em CONFLITO consigo mesmo.

Paulo de Tarso diria que a intuição são os
ÁRRETA RÉMATA,
os "ditos indizíveis"
Assim como o místico,
que sabe o que é DEUS,
não pode falar de DEUS.

Do mesmo modo o matemático,
que sabe o que é Realidade,
não pode falar sobre Realidade aos que só pensam e falam em termos de relatividade.

A Realidade,
quando pensada,
é adulterada.
E, quando falada,é duas vezes adulterada.
E, quando escrita,é trêz vezes adulterada.
Infelizmente, o homem tem de PENSAR, de FALAR e até de ESCREVER -
que são males necessários, são
FELIX CULPA, diria o HINO PASCAL DO EXULTET.
A verdade genuina não pode ser pensada,
falada,
escrita - ela é eternamente SILENCIOSA,ANÔNIMA,AMORFA e INCOLOR.

Quanto mais o homem se aproxima de DEUS,mais SILENCIOSO se torna,
mais ANÔNIMO, mais AMORFO, mais INCOLOR.

Tudo que se pode pensar, que tem nome, forma e cor,pertence ao mundo dos relativos,
mas não ao mundo do Absoluto.

O nosso Eu cósmico sabe da Realidade, e a saboreia -
mas NÃO a pode PENSAR nem DIZER.
A REALIDADE É IMPENSÁVEL e INDIZÍVEL.
O homem da silenciosa Realidade é o ÚNICO HOMEM REALMENTE FELIZ.
E, por vezes, é tão grande a sua felicidade que ele resolve pensar,
falar,
e até escrever,
porque toda a plenitude transborda IRRESISTIVELMENTE.
E esse transbordamento da plenitude beneficia os outros --
suposto que estes tenham receptividade para receber
algumas gotas daquela plenitude.
-----------------
- - PRESERVAI OS RIOS E OS MARES. -ÁGUA, GARANTIA ÚNICA DE VIDA NA TERRA. - -
Postar um comentário